Movimentos realizam ato público em defesa da Justiça do Trabalho


    Magistrados, membros do Ministério Público, advogados, fiscais do trabalho, servidores e representantes de entidades de classe reunira-se em frente ao Fórum Autran Nunes, no Centro, para o ato público em defesa da Justiça do Trabalho.


    Realizado pelos Juristas pela Democracia, Associação dos Magistrados do Trabalho da 7ª Região (AMATRA), Associação dos Advogados Trabalhistas do Ceará (ATRACE) e Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho da 7ª Região (SINDISSÉTIMA), a atividade teve o objetivo de despertar a sociedade sobre o impacto da reforma trabalhista e das recentes ameaças sofridas pela Justiça do Trabalho.


    Outros estados brasileiros também realizam atividades deste tipo, que fazem parte de campanha nacional que pretende alertar que os direitos de empregados e empregadores só estão garantidos com uma Justiça do Trabalho forte e atuante.


    A atividade mostrou que é preciso resistir aos retrocessos que estão sendo plantados no Congresso e no Governo Federal. A proposta de reforma trabalhista que tramita na Câmara dos Deputados prevê, entre as mudanças, a ampliação do contrato temporário, jornada de 12 horas e a permissão irrestrita da terceirização, já aprovada na Casa. Em meio às discussões da reforma trabalhista, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que a Justiça do Trabalho não deveria existir. A declaração do parlamentar provocou a reação dos magistrados e trabalhadores de vários setores.


    Saiba mais na reportagem da TV Fetamce:


    Source: Fetamce